Porto Alegre, 25 de abril de 2017
Ações da SMOV garantem inclusão social
Escrito por Cássio Trogildo   

A Secretaria Municipal de Obras e Viação executa permanentemente ações voltadas para a qualificação do espaço urbano e da mobilidade dos portadores de necessidades especiais. Neste sentido, entre outras iniciativas estamos desenvolvendo um ciclo de reuniões com o CEREPAL para estabelecer prioridades em termos de acessibilidade e infra-estrutura no entorno da Instituição, uma vez que a mesma trabalha em prol desta importante parcela da população. Com a participação da diretoria da Entidade e de outros órgãos da prefeitura (EPTC, FASC e DEP), durante o último encontro foi destacada a importância das condições das bocas de lobo e tampões de acesso à rede de esgotos, o incremento da sinalização de trânsito com ênfase no controle de velocidade no local, assim como a manutenção de calçadas, como prioridades que certamente facilitarão o dia-a-dia de cadeirantes, deficientes visuais, familiares e cuidadores que vivem e trabalham na comunidade.


Nossa experiência frente à SMOV vem consolidando o sentimento de que somente em parceria - sociedade civil e administração pública – garantiremos efetivamente uma cidade mais bonita e mais segura, vale dizer, uma vida melhor para todos. É com esta convicção que a prefeitura desenvolve a campanha Porto Alegre: Eu Curto, eu cuido. Para que todos se engajem como agentes, para que todos façam a sua parte, fiscalizando, colaborando, construindo uma nova consciência que entende os cuidados com a cidade como um valor e uma prática de todos. É com este espírito de coletividade que, juntamente com membros da diretoria e colaboradores do CEREPAL, estivemos visitando moradores e comerciantes do Passo d’Areia, no entorno da Instituição, dialogando e esclarecendo dúvidas sobre manutenção das calçadas, dever de proprietários ou responsáveis em frente aos terrenos, com o sem edificações. Representa um avanço social significativo mantermos em plenas condições de uso os passeios das nossas ruas, dos nossos bairros, inclusive no quesito segurança de idosos, crianças e principalmente dos portadores de necessidades especiais, cujo direito de ir e vir e garantido por lei. Todo esforço empreendido pelo poder público neste sentido precisa contar com o entendimento e a adesão da comunidade. Garantir a circulação de pedestres e cadeirantes é compromisso coletivo e inadiável.

 

É com muita disposição que empreendemos nossa missão pública, conscientes de que as lideranças comunitárias – a exemplo do presidente da Associação de Moradores da Cefer, prezado Valtinho – representam o elo fundamental que legitima e mobiliza parte fundamental desse processo. Aproximando-nos di diálogo e o encaminhamento das alternativas que deverão solucionar as demandas da atual diretoria do CEREPAL, e das pessoas que buscam a entidade como instrumento de promoção e superação de desafios, fica manifesta as inúmeras possibilidades de atuação conjunta. Fica a certeza da responsabilidade social e do compromisso coletivo como transformadores da realidade.